Institucional
Conheça mais sobre o Canto Cidadão
História

O Canto Cidadão surgiu oficialmente no dia 19 de julho de 2002. A partir da Lei das OSCIP’s (9.790/99), a organização foi batizada como Organização para Produção e Democratização de Informação Canto Cidadão.

A decisão de fundá-lo foi de Felipe Mello e Roberto Ravagnani, que antes da formalização já desenvolviam atividades voluntárias de sensibilização para o exercício da cidadania (por meio da arte e comunicação) em diversas localidades, tais como hospitais e escolas públicos e comunidades em geral.

Com a ampliação das atividades e a aproximação de muitos interessados em participar, os fundadores decidiram constituir uma organização social sem fins lucrativos.

Desde então, busca continuamente manter e ampliar as suas contribuições sociais, contando com a parceria de diversos agentes, em especial voluntários que se preparam para atuar nos programas sociais e multiplicar os resultados.

Missão

MISSÃO

Convidar, preparar e apoiar pessoas para atividades que melhorem a convivência, pela Arte, Educação, Comunicação e Voluntariado.

VISÃO

Pela inquietude, entusiasmo e compromisso com o bem fazer, ser inspiração na gestão de atividades sociais.

VALORES

Transparência, Respeito incondicional, Entusiasmo, Inquietude, Cooperação, Protagonismo social, Capricho e Descontração.

Resultados Gerais

Pessoas já beneficiadas

Por meio dos seus programas sociais, o Canto Cidadão chegou a 2018 contabilizando mais de três (3) milhões de pessoas beneficiadas diretamente. Entre os públicos atendidos, destacam-se:

  • Pacientes, acompanhantes e profissionais da saúde de hospitais públicos e filantrópicos (programas artísticos de humanização hospitalar)
  • Alunos da rede pública de ensino (oferta de teatro gratuito)
  • Organizações sociais sem fins lucrativos (realização de editais de destinação de doações)
  • Adolescentes e adultos da comunidade em geral (oferta de cursos gratuitos de idiomas, informática e outros)

Em 2017

Resultados Gerais

Em 2017, as iniciativas da organização beneficiaram diretamente 64 mil pessoas. O quadro abaixo apresenta os Resultados Gerais oriundos de todos os programas socioculturais da organização.

Resultados por programa sociocultural

Para informações específicas de cada programa sociocultural, preparamos uma série de vídeos com os resultados de 2017. Para assisti-los, basta CLICAR AQUI.

Voluntariado

O Canto Cidadão valoriza tremendamente a sensibilização e a participação de voluntários em seus programas sociais. Tanto pela possibilidade de beneficiar mais pessoas pela multiplicação de protagonistas, quanto pela crença de que o voluntariado é uma prática essencial para o fortalecimento do exercício da cidadania.

Desde a sua fundação, já participaram de forma pontual e recorrente em ações da organização mais de 5 mil voluntários, sendo que metade deste número passou por treinamentos com carga-horária superior a 60 horas, antes do início da realização das atividades.

Localização das atividades

O Canto Cidadão já realizou atividades sociais em mais de 100 cidades de todos os estados brasileiros, especialmente por meio de expedições sociais para troca de experiências e realização de atividades de sensibilização com diversos públicos.

De forma recorrente, os programas sociais acontecem na Grande São Paulo, com ênfase na capital, ABC e Barueri.

Diretoria

O atual mandato (vigente até 2020) tem como diretores Felipe Mello, Roberto Ravagnani* e Ubiratan Mendonça Júnior.

Nos termos do Estatuto da organização, compete à Diretoria: elaborar e submeter à Assembleia Geral a proposta de programação anual da organização; executar a programação anual de atividades da organização; elaborar e apresentar à Assembleia Geral o relatório anual; reunir-se com instituições públicas e privadas para mútua colaboração em atividades de interesse comum; contratar e demitir funcionários; regulamentar as Ordens Normativas da Assembleia Geral e emitir Ordens Executivas para disciplinar o funcionamento interno da organização.

*No início de 2018, Roberto Ravagnani solicitou afastamento de suas funções na diretoria da organização, pelo prazo de 12 meses.

Conselho

O atual mandato (vigente até 2020) tem como conselheiros Carmen Morales Moquiuti, Célio Soledade Romano, Cícero Ricardo Gomes de Miranda, Gomér Gonzaga, Larissa Maçães Cordeiro, Raul Ranauro Javales Junior e Sérgio Vaisman.

Nos termos do Estatuto da organização, compete ao Conselho Fiscal: examinar os livros de escrituração da organização; opinar sobre os balanços e relatórios de desempenho financeiro e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para os organismos superiores da organização (Lei 9.790/99, inciso III do art. 4º); requisitar, a qualquer tempo, documentação comprobatória das operações econômico-financeiras realizadas pela organização; convocar extraordinariamente a Assembleia Geral;

O Conselho Fiscal se reunirá ordinariamente a cada seis (6) meses e, extraordinariamente, sempre que necessário.

Documentos